Inbound marketing Marketing Digital Tecnologia, Gestão e Marketing

Marketing de conteúdo: conselhos para a pesquisa e uma dica global

“O site de uma empresa é a sua principal ferramenta de comunicação com o público-alvo, é onde são inseridas informações relevantes sobre a marca, como a missão, a visão e os valores”.

A frase que acabou de ler, e que encontrada citada em variados artigos do blogue do Hubspot, referindo-se ao inbound marketing, reflete de forma cristalina a importância que deve ser colocada na elaboração do website da sua marca ou organização. “É através do site ainda que a empresa demonstra todo o seu conhecimento e experiência na sua área de atuação e estabelece vínculos com os visitantes, retendo-os”, refere.

Tudo isto leva-nos ao marketing de conteúdo e neste ponto as opiniões são consensuais: qualquer estratégia de inbound necessita de marketing de conteúdo. Uma não vive sem a outra e sozinhas estão condenadas ao insucesso. Porquê? É através do conteúdo do seu website ou blog que a sua marca irá atrair a “atenção da sua audiência” e, igualmente importante, “fazer com que ela permaneça por mais tempo a navegar no seu site”.

Neste ponto convém referir que qualquer estratégia de marketing de conteúdo deverá ser, obrigatoriamente, acompanhada de técnicas de SEO, link building, CTA’s, landing pages e formulários.

A realidade tem vindo a demonstrar que a globalização e a diversidade cultural tornaram mais difícil alcançar as pessoas, pelo menos as pessoas que formam o seu público-alvo

A realidade tem vindo a demonstrar que a globalização e a diversidade cultural, fenómenos num imparável ciclo de crescimento, tornaram mais difícil alcançar as pessoas, pelo menos as pessoas que formam o seu público-alvo. Por isso, deve ser colocado todo o esforço na produção de conteúdos, que terão de incluir as palavras-chave mais adequadas. Chegamos, agora, aos que nos trouxe até este artigo. É que todo este esforço de marketing começa, necessariamente, pela criação de conteúdos - sejam publicações num blogue, site ou um vídeo -, logo o primeiro passo seguro deve ser dado na seleção das melhores fontes de informação, não só capazes de proporcionar artigos realmente interessantes como capazes de tornar o seu conteúdo em algo credível.

Conselhos para uma boa pesquisa

Captura de ecrã 2019-10-16, às 11.21.07

Tudo começa com a pesquisa. Ou melhor, tudo começa em saber como fazer pesquisa avançada, a que pode gerar as melhores fontes para o conteúdo da sua publicação escrita segundo as regras do inbound marketing.

Na esmagadora maioria dos casos, quando nos referimos a pesquisa, pensamos imediatamente em Google. Trata-se de facto do maior motor de busca, o que não significa automaticamente os melhores resultados. Na verdade, é necessário aproveitar todos os recursos oferecidos pela pesquisa do Google. Lembre-se deste conselho: “Ao invés de digitar uma pesquisa com parágrafos inteiros que geram resultados irrelevantes, é possível restringir ou refinar suas pesquisas para encontrar mais do que está realmente à procura”.

1. Filtrar o que não é útil.

O primeiro conselho que damos é que encontrar a informação que, de facto, necessitamos, obriga a filtrar o que não é útil. O que o Google possibilita é acrescentar “modificadores” à sua pesquisa de forma que os resultados digam respeito apenas ao que busca. Ou seja.

Use site: para pesquisar apenas as palavras-chave num site específico.

Use filetype: para encontrar tipos específicos de arquivos, como os casos de .pdf ou .xls.

Use o símbolo - A fim de eliminar resultados de palavras relacionadas que não são do seu interesse.

Para pesquisar por sites relacionados, insira related: na frente de um endereço da web.

A propósito ainda de filtrar o que não é útil, é possível obter melhores resultados, sendo necessário que para tal duplique os modificadores. Ou seja, combine os modificadores de pesquisa: utilize uma combinação de modificadores de site: filetype: e “-” ao mesmo tempo, por exemplo; Pesquise por tipos de arquivos, como em Excel, ao digitar filetype:xls. Para eliminar termos de sua pesquisa, use o sinal “-”.

2. As vantagens do Google Scholar

Google Scholar, já ouviu falar? O Google chama-lhe “uma fonte para fontes”, definindo esta ferramenta de pesquisa como algo que permite “encontrar e explorar uma grande variedade de literatura académica”.

Na prática, o Google Scholar permite o acesso artigos, teses, livros, resumos de académicos, sociedades profissionais, arquivos on-line, universidades e sites.

Captura de ecrã 2019-10-16, às 11.28.33

3. Google News, uma base desde 2003

Pesquisar notícias através do Google é capaz de o levar a encontrar fontes entre os artigos relevantes mais recentes para sua pesquisa, sendo importante referir que o Google News arquiva notícias partilhas na internet desde 2003.

Como o fazer da melhor maneira:

  • No news.google.com insira a sua consulta na caixa de pesquisa.
  • Na página de resultados clique em Ferramentas logo abaixo da caixa de pesquisa.
  • No menu exibido, clique em Recente.
  • Na lista dropdown, clique em Arquivo. Ou, se quiser especificar um intervalo de tempo, clique em Personalizar intervalo.
  • Para encontrar notícias de 1995 ou antes, será necessário pesquisar artigos de jornais digitalizados.
  • Na janela da pesquisa do Google.com escreva site:google.com/newspapers, seguido dos termos de pesquisa que deseja usar. Por exemplo, site:google/newspapers “AI nas universidades de Portugal”.

4. Google Trends para entender as tendências

Por fim, falemos sobre o Google Trends como derradeira ferramenta capaz de o ajudar a encontrar o conteúdo que sirva a sua estratégia de inbound marketing.

Para que serve este serviço? Na prática, permite conhecer os tópicos em alta que são coletados pela tecnologia do Knowledge Graph do Google e podem ser ideias para potenciais para artigos baseados no interesse que despertam em determinada altura.

Na página inicial google.com/trends são apresentados os tópicos agrupados que foram detectados pelo Google como sendo relacionados e que possuem a mesma tendência, seja no Search, Google News ou YouTube.

Captura de ecrã 2019-10-16, às 11.25.32 1

Google e Bing: diferenças e semelhanças

Até aqui referimo-nos ao Google, afinal, é o grande dominador entre os motores de busca. Liderança que manteve mesmo depois do lançamento do Bing, “filho” da poderosa gigante tecnológica norte-americana.

Não se trata aqui de traçar vantagens e desvantagens, nem tão pouco de eleger o melhor. A ideia é, apenas e em linhas gerais, traçar algumas das diferenças entre estes dois sites de pesquisa.

A primeira imagem traça desde logo a diferença, com a Google a optar por um ambiente praticamente branco e o Bing a preferir uma tela mais “composta”.

No que se refere ao que nos interessa neste artigo - pesquisa e pesquisa avançada - há, de facto, diferenças.

  • O Google apresenta duas opções de botões - com a tarefa que cumprem escritos sobre eles . para iniciar a pesquisa -, com um para iniciar e outra para abrir uma página aleatória (“Estou com sorte”).
  • O Bing mostra somente o desenho de uma lupa.
  • Ao lado da barra de pesquisa o Google exibe as opções “Pesquisa avançada” e “Ferramentas de idiomas”.
  • No Bing só é possível aceder a estas duas opções depois de iniciada uma pesquisa.
  • Ao contrário da pesquisa do Google, o Bing permite definir o tipo de pesquisa realizada - web, imagens e notícias - antes de iniciar a busca.

Tradução, palavras-chave e SEO

Esta é uma ideia que já defendemos anteriormente: ao apostar numa estratégia de marketing digital há um sem número de práticas e teorias que ajudarão a sua marca a aproximar-se do público-alvo e a cativar clientes. Entre as práticas está a aposta no inbound, designadamente através de um sério investimento no marketing de conteúdo, mas também tendo presente que não lhe bastará ter conteúdo partilhado em apenas uma língua e que será insuficiente avançar apenas para a tradução para inglês. Opte por mais do que um par linguístico.

Mas de que tipo de tradução precisa, perguntará? De tradução SEO, respondemos. É que mesmo que o site da sua empresa já seja uma realidade, ter um site traduzido que também respeita as boas regras de SEO é a melhor forma de prosseguir no caminho do sucesso. Tenha presente que uma boa tradução SEO, aquela que combina o melhor da localização com técnicas de SEO com base nas palavras-chave e métodos específicos, garantem o seu sucesso online.

traducao-de-websites-e-localizacao-digital

QUEM SOMOS

AP Portugal - Tech Language Solutions é uma empresa portuguesa de tradução certificada pela Norma Internacional da Qualidade ISO 17100, representante oficial da tecnologia Wordbee, com uma agência de tradução em Lisboa e outra agência de tradução no Porto. Reconhecida internacionalmente pelas suas competências tecnológicas de localização e tradução de websites, SEO multilingue, locução, legendagem e interpretação, aposta com entusiasmo no desenvolvimento da cooperação em Luanda, Maputo, Bissau, Praia, São Tomé , Dili e qualquer ponto do mundo onde a sua organização ou instituição necessite de um parceiro especializado em mais de 125 pares linguísticos.

Pode ainda seguir-nos nas redes sociais Facebook, Twitter e Instagram.

 

Artigos Relacionados:

Chegados ao marketing digital, a estratégia de todos é, naturalmente, a geração de...

Artigos Relacionados:

Quando entramos na viagem do marketing digital só temos um destino em mente, o...

Artigos Relacionados:

Já definimos marketing digital, enunciamos erros que deve evitar e prestamos especial...

Comentários

Subscrever Blog